O bairro Serra

bairro-Serra

Esse bairro que antes integrava o cinturão verde da recém inaugurada capital mineira, repleto de chácaras e casas com amplos quintais e pomares, ainda conserva na contemporaneidade o frescor daqueles ares de antes.

Em suas memórias sobre seus tempos na capital, o escritor Pedro Nava, escreveu: “Ali vivi dos meus dezessete aos meus vinte quatro anos (…). Sete anos que valeram pelos que tinha vivido antes e que viveria depois.” Seu endereço: nosso precioso bairro Serra!

Ainda hoje, por sua altitude e proximidade com extensas áreas verdes permanentes como a Serra do Curral e  o Parque das Mangabeiras, muitos de seus moradores ainda experimentam, como ele, a sensação revigorante do sol da manhã quando entra pelas janelas ” tão claro, tão violento, tão cintilante que todas as formas(…)diluíam seu contorno e resolviam-se só em cores.”

Com o passar dos anos, seu clima agradável e localização privilegiada, atraíram inúmeros empreendimentos de alto padrão para a região e transformaram o bairro em dos melhores locais para se morar em Belo Horizonte.

Mas afinal, o que é que a Serra tem?

A Serra, como é chamado pelos moradores, tem os ares e as cores das montanhas de minas. Tem o aconchego de uma vizinhança que ainda caminha pelas ruas para resolver pequenos assuntos do dia a dia e se conhece e se cumprimenta justamente de tanto se esbarrar pelas esquinas.

A Serra tem muitos pássaros pelo céu. Muitos tucanos que às vezes param para descansar em alguma janela, muitos periquitinhos voando em bando, micos estrela atravessando os fios telefônicos com a família inteirinha! E às vezes algum outro visitante que sai do Parque das Mangabeiras e vai dar um passeio pela região, como o lindo Alma-de-Gato.

A Serra tem moradores apaixonados. Difícil mudar-se de lá.

Mas, e então, o que é a Serra tem mais?

A Serra tem caminhos, a Serra tem lugares, a Serra tem histórias. Histórias antigas, histórias de agora, que se desenrolam nesses mesmos caminhos e lugares. Antigos e de agora. Escolas, bares, clubes, padarias, açougues, costureiras, restaurantes famosos e outros nem tanto, mas tão bons quanto! Lanchonetes, marceneiros, serralheiros, tantos barbeiros e cabelereiros! Tem hortifruti e sacolão, tem loteria, farmácia, lojas de roupas e de macarrão! Tem bar famoso de torcedor apaixonado, tem bar cativo e tem bar mais requintado.

É verdade que há muitos contrastes também. Mas a diversidade nos torna mais sensíveis, mais humanos. Mais propensos a querer mudar o que nos incomoda. E talvez, também por isso, esse seja um lugar tão especial.

Tem de tudo nesse bairro, tão querido e cada vez mais procurado por quem quer um refúgio tranquilo mas também animado. Por quem quer estar perto da natureza com conforto. Busca qualidade de vida sem ter que ficar isolado. Por quem gosta de estar na cidade mas com sossego e poesia. Pois morar e andar pela Serra é estar sempre espiando um pedacinho da nossa querida Serra do Curral. Moldura da capital mineira e poesia para os mais atentos, ou mais desavisados, quem sabe, que permitem que seus contornos, seus ares e suas cores invadam nossos olhos, diariamente!

Flavia Ferreira Roscoe – Consultora de imóveis

Anúncios

Caixa Econômica Federal reduz taxa de juros imobiliário

grafico_decrescente20A CEF deseja retornar a ser o principal banco imobiliário do país. Durante anos sempre se idealizou que a CEF era o melhor banco para se obter um financiamento imobiliário, seja taxa ou pelo know-how na execução dos processos. Porém nos últimos dois anos a instituição não é mais referência no setor.

Os bancos privados, especialmente Itaú, Santander e Bradesco, têm investido no setor imobiliário com taxas bastantes competitivas, seguros habitacional reduzidos, o que, consequentemente, promove um valor de prestação menor que os praticados pela Caixa.

Os novos contratos da CEF continuam indexados à Taxa Referencial (TR), mas as taxas de juros máximas passaram de 11% para 9,75% e as taxas mínimas foram reduzidas de 8,75% para 8,5% ao ano, aproximando-se das taxas mínimas já praticadas pelos concorrentes.

As taxas serão aplicadas em todas as operações do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) que abrange financiamentos de imóveis até o valor de R$ 1,5 milhão (para o Estado de Minas Gerais) e no Sistema Financeiro Imobiliários (SFI) que abrange imóveis comerciais e os residenciais acima do valor do SFH.

No Banco Bradesco a mínima está em 8,85% ao ano, Santander tem trabalhado com a taxa em 8,99%. O Banco do Brasil, que era o banco pública com a menor taxa, tem taxas a partir de 8,49%, porém a instituição com a menor taxa é o Itaú Unibanco com taxas a partir de 8,3% ao ano.

Além da redução da taxa de juros a Caixa anunciou outras possíveis medidas para impulsionar o mercado imobiliário, como a troca da Taxa Referencia pelo IPCA, ampliação de contratos vinculados a Tabela PRICE, mas ficará a cargo do consumidor escolher qual a melhor modalidade lhe atenderá. E ainda a Caixa anuncia a renegociação de dívidas dos contratos ativos (cerca de 11% da carteira de contrato ativos), e em alguns caso com redução da multa e juros das prestações em atraso.

Afirma Pedro Guimarães, Presidente da Caixa, que “estamos igualando as taxas para as diferentes faixas de renda. A taxa é igual para todo mundo. Estamos eliminando essa distorção, que era o tratamento diferenciado entre as faixas de renda”.

Essa é uma tentativa da Caixa Econômica Federal tentar voltar a dominar o mercado de financiamento habitacional.

É vital para se ter segurança na escolha da melhor modalidade ou taxa de juros ou analise dos encargos indiretos do financiamento a contratação de uma assessoria de um Correspondente Bancário que poderá analisar todas as opções no mercado e identificar qual a melhor instituição financeira para o seu perfil.

Poliana Cunha – Assessora Imobiliária Hypolito Imóveis.              Poliana

 

CONDOMÍNIO NÃO PODE PROIBIR INADIMPLENTE DE USAR ÁREA DE LAZER, DECIDE STJ

WhatsApp Image 2019-04-25 at 16.40.38As relações condominiais, em prédios edilícios, sempre geram muitos desgastes entre vizinhos e muitas vezes tais situações chegam ao Poder Judiciário.

É muito usual que condôminos inadimplentes percam o direito a utilização da área comum de lazer dos edifícios que são proprietários ou locatários, seja por previsão na convenção ou por decisão das assembleias.

Nessa semana, em decisão unanime, a 4° Turma do STJ vetou, considerando assim ilegal, a prática de vetar o uso da área comum de lazer pelo condômino inadimplente.

O relator, ministro Luis Felipe Salomão, ressalta tal proibição contraria a função social da posse da propriedade, afirmando que a natureza jurídica do condomínio edilício é de uma unidade indissolúvel, não sendo possível separar o direito do proprietário utilizar sua área privativa do direito do mesmo de utilização da área comum, mesmo que seja a área de lazer do condomínio.

E impedir a utilização pelo condômino devedor é um medida coercitiva, até mesmo coativa, sendo utilizado como uma forma de obrigar os proprietário de estarem adimplentes com as taxas condominiais.

A decisão dessa semana vale apensas para o caso específico da ação, mas de um modo geral, vem pacificar um entendimento que já nas outras turmas de direito civil no STJ. E pode abrandar outras relações condominiais similares.

Poliana Cunha – Assessoria Jurídica                                            Poliana

05 DICAS PARA VENDER SEU IMÓVEL MAIS RÁPIDO

5 DICAS

Você está tentando vender seu imóvel há algum tempo, mas está com dificuldades? O imóvel está anunciado em várias imobiliárias, mas quase não está tendo visitas? Você não sabe o que fazer para vender seu imóvel mais rápido! Preparamos 05 dicas que irão te ajudar:

1 – Seu imóvel realmente vale o que você está pedindo? Muitas vezes o imóvel está anunciado por um valor acima do mercado. O que significa que é preciso pedir uma avaliação para uma imobiliária especialista na região do seu imóvel. O consultor imobiliário lhe dará um preço para venda baseado em critérios de idade, conservação, construtora, localização, também em comparação ao preço de venda de outros imóveis similares anunciados na região.

2 – Saiba como se comportar na hora da visita. Quando o consultor imobiliário agenda uma visita ao seu imóvel com um pretenso comprador, deixe que o próprio profissional conduza a visita. Muitas vezes o proprietário acaba “falando demais” e pode deixar o interessado constrangido em fazer certas perguntas. Deixe o consultor imobiliário fazer o meio de campo para você, ele saberá como lidar com as duvidas do cliente e como valorizar os benefícios que seu imóvel possui. Uma frase mal interpretada pode fazer com que o pretenso comprador acabe desistindo de comprar o seu imóvel, levando você a perder uma oportunidade de venda.

3 – Valorize as fotos do seu imóvel. Hoje, a maioria das pessoas que buscam imóveis para comprar, estão procurando através do meio virtual, o que faz com que estes clientes cheguem a conhecer seu imóvel através dos anúncios publicados pela imobiliária em portais, redes sociais e no site pessoal da empresa. 85% dos compradores pré-selecionam imóveis por fotos através da internet. Por isso ter fotos atrativas é muito importante. Sabemos que a primeira impressão é a mais marcante e, por isso, a contratação de um serviço de fotógrafo pode ser um grande diferencial. Se quiser saber como preparar seu imóvel para receber este profissional, confira em nosso Blog do Hypólito o texto com “10 dicas para preparar seu imóvel”.

4 – Você já ouviu falar sobre ”Home Staging”? Apesar de pouco difundido no Brasil, Home Staging é um conceito bem antigo que surgiu nos Estados Unidos na década de 70 e é muito utilizado por lá e em países da Europa. Trata-se de uma eficiente ferramenta que auxilia a venda mais rápida do imóvel através de técnicas de decoração, organização e despersonalização tornando o imóvel mais atrativo. Uma pesquisa da NARS (National Association of Realtors), feita nos Estados Unidos, diz que o tempo de venda é 50% mais rápido após o Home Staging. A valorização do imóvel pode chegar até 15% do valor real.

5 – Anuncie seu imóvel em uma imobiliária especialista. Colocar o seu imóvel anunciado em uma imobiliária lhe ajudará bastante, pois você muito provavelmente conseguirá vender seu imóvel mais rápido do que se tentasse vende-lo sozinho. Imobiliárias com credibilidade no mercado tem uma grande visibilidade e quanto maior a visibilidade, maiores suas chances de venda. Além do mais, uma boa imobiliária conta com profissionais com formação e qualificação adequada para oferecer segurança aos envolvidos na transação, como consultores imobiliários, advogados e engenheiros, o que torna todo o processo bem mais seguro. A imobiliária fará todo o serviço para você, ajudando com relação às condições de compra como, por exemplo, a necessidade de um financiamento por parte do comprador, negociará os termos contratuais, valores, fará a análise da documentação do imóvel, evitando prejuízos futuros. A imobiliária conseguirá também avaliar seu imóvel de forma justa e, quando agendar uma visita com um pretenso comprador ao seu imóvel, você terá muito mais segurança, pois o comprador é previamente identificado e vai sempre acompanhando por um consultor.

Nara Miranda – Gerente de vendas                                    WhatsApp Image 2019-05-29 at 11.58.17

Porque o ano de 2019 é o melhor ano para se comprar um imóvel nos últimos 4 anos em Belo Horizonte.

2019 Block number and house model on stack coins.Nos últimos quatro anos, os preços dos imóveis residenciais em Belo Horizonte caíram cerca de 21,2% em termos reais, ou seja, descontando a inflação, conforme o Instituto Data Secovi. Analisando a quantidade de imóveis comercializada, a redução foi de 10,6%. Os preços baixaram devido à baixa procura. Consequência da recessão mais dura da história do Brasil. Cenário que não deve mudar nos próximos meses, sendo assim, os preços devem ficar estáveis em 2019.

A inflação segue dentro das metas estabelecidas pelo governo, situação que não gera pressões para elevação da taxa básica de juros, que está em 6,5% ao ano, o menor patamar da história. Como consequência, o financiamento deve se manter mais barato.  Há bancos com taxas de financiamento a partir de 8,5% ao ano (para imóveis com valores entre R$500 mil a R$1,5 milhões), 35% menor que em 2016.

Depois de anos emperrados, os estoques das construtoras começaram a diminuir em Belo Horizonte. Segundo dados apresentados pelo Sinduscon-MG, em fevereiro de 2019 as construtoras possuíam 3.726 unidades residenciais em estoque, um número 20% menor que fevereiro de 2018 e 28% menor que fevereiro de 2017. O estoque em BH esta baixíssimo comparado com outras capitais do mesmo porte, Curitiba, por exemplo, possuía 7.000 imóveis em estoque em janeiro de 2019. A título de curiosidade, em média 15 mil casamentos acontecem anualmente em Belo Horizonte. A mesma redução pode ser observada nas quantidades de alvarás de construção, em 2018 foi concedido pela prefeitura municipal autorização para a construção de 5.155 unidades residenciais, 20,5% inferior ao ano de 2017. Capitais europeias como Londres e Lisboa, dadas as devidas particularidades, já enfrentam sobre preço devido à falta de novos imóveis. Belo Horizonte ainda tem alguns pontos de atenção, como falta de terrenos e uma possível alteração do plano diretor, que deixará mais caro construir na capital.

O cenário mistura preços estáveis, redução das ofertas e dos alvarás de construção, financiamento fácil e juros mais baixos. Para virar uma tempestade perfeita, falta somente uma pitada de aumento dos empregos, que deve começar a dar sinais de vida assim que a reforma da previdência for aprovada.

É hora de aproveitar para negociar antes que a disputa pelos melhores imóveis fique acirrada.

Leonardo Matos – Diretor                             WhatsApp Image 2019-05-29 at 10.26.27