Mais um pouco do Circuito Liberdade…

Museu Mineiro

museu mineiro

O Museu Mineiro, fica na Av. João Pinheiro, nº 342. Como se vê ele não é um dos prédios que rodeiam a praça da liberdade, mas fica bem pertinho, no terceiro quarteirão da João Pinheiro, sentindo centro (ao lado esquerdo da avenida). O prédio fica em um belo casarão do final do século XIX que faz parte do conjunto arquitetônico original da cidade de Belo Horizonte. Foi residência oficial e posteriormente sede do Senado Mineiro.

Organizado em 46 coleções, é formado por objetos que documentam materialmente períodos distintos da cultura mineira. São realizadas várias oficinas, colônias, visitas mediadas com intuito de levar cultura e informação à crianças, jovens e adultos. O Museu Mineiro é um dos mais antigos e representativos museus do Estado. Ele oferece ao público um importante acervo constituído em períodos distintos de formação do Estado de Minas e tem como principal missão preservar, pesquisar e difundir os registros da cultura mineira. Vale a pena a visita para se conhecer as várias “histórias de Minas”.

Funcionamento: terça, quarta, quinta e sexta-feira das 12h às 19h e Sábado e Domingo das 12h às 19h.

Arquivo Público Mineiro

ar

O APM (Arquivo Público Mineiro), fica na mesma sede do Museu Mineiro na Av. João Pinheiro, nº 342, para você localizá-lo não tem erro pois, o prédio amarelo com suas palmeiras na frente se destaca pela sua beleza.. É superintendência da Secretaria de Estado de Cultura, responsável pela gestão, recolhimento, guarda, preservação e acesso ao acervo arquivístico do Poder Executivo estadual e aos documentos privados de interesse público.  

Constituído de documentos manuscritos, impressos, mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos, dispõe de uma biblioteca especializada em história de Minas Gerais e arquivologia e uma coleção de obras consideradas raras ou preciosas, publicadas entre os séculos XVI e XX.

As visitas podem ser realizadas em seu horário de atendimento que é de segunda a sexta-feira das 9h às 17h.

 

Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais

15

A Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais é aquele prédio verde localizado na Praça da Liberdade (esquina com Gonçalves Dias), antiga Secretaria de Viação e Obras Públicas. Depois de um bom tempo fechado, está sendo restaurado e abrigará o IEPHA-MG (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais), fundação vinculada à Secretaria de Estado de Cultura que atua no campo das políticas públicas de patrimônio cultural. Cabe ao Instituto pesquisar, proteger e promover os bens culturais de natureza material e imaterial de Minas Gerais.

Atualmente ainda está fechado, sem acesso ao público.

 

Casa Fiat de Cultura

cc

A Casa Fiat de Cultura fica próxima ao cruzamento da rua da Bahia com Antônio Aleixo, atrás da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, do lado esquerdo do Palácio. Assim como todos os prédios citados acima, este também faz parte do Circuito Liberdade.

Com mais de 13 anos de programações diversificadas com exposições, música, palestras, residência artística e o Ateliê Aberto e de programas de visitas com abordagem voltada para a valorização do patrimônio cultural e artístico, tem por objetivo incentivar o público a interagir com diversos movimentos artísticos e linguagens, desde a arte clássica até a digital e contemporânea.

No espaço há uma cafeteria bem charmosa (com decoração moderno e o retrô), onde há a integração perfeita entre cultura e gastronomia.

Não deixe de conferir uma de suas exposições (permanentes e temporários), funcionamento é de terça a sexta das 10h às 21h; sábado, domingo e feriado das 10h às 18h.

Fontes: www.museumineiro.mg.gov.br; www.circuitoliberdade.mg.gov.br; www.iepha.mg.gov.br; www.casafiatdecultura.com.br; www.siaapm.cultura.mg.gov.br; www.serjusmig.org.br;
nara

Conteúdo produzido por Nara Miranda

QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2020?

foco

INTERCLIP. REVISTA FOCO IMOBILIÁRIO: “Dados do Instituto Data Secovi apontam bom momento para compra e locação de imóveis”. Disponível em: https://weseek.com.br/viewnews/ViewMateria.html?materiaId%3d47198054%26canalId%3d486635%26clienteId%3dqjvpUBNxf3o%3d%26newsletterId%3d3EwzPeuDESk%3d . Publicado em 09/02/2020.

Veja mais 3 Atrações do “Circuito da Liberdade”.

Centro de Arte Popular (CAP) – CEMIG

Apresentando um amplo espaço panorâmico de obras que enaltecem a riqueza e pluralidade de manifestações culturais populares, O Centro de Arte Popular Cemig, (CAP-MG) valoriza o trabalho de artistas criadores que traduzem no barro, na madeira e em outros materiais o universo em que vivem.

image (1)

O Centro de Arte Popular Cemig foi construído para uso residencial na década de 1920, no passado foi também a sede do antigo Hospital São Tarcísio.

Em 2012 o prédio foi adaptado para abrigar o CAP – Cemig. No local onde pode ser observado as obras dos artistas de várias regiões de Minas Gerais, como o Vale do Jequitinhonha, Cachoeira do Brumado, Divinópolis, Prados, Ouro Preto, Sabará e outras, gerando uma sensação de sincronia com elementos representativos da pluralidade da cultura mineira.Com uma exposição permanente o edifício possui quatro salas, uma para exposições temporárias, um belo auditório com 60 acentos. Uma galeria para oficinas de arte e ainda um pátio interno destinado a um projeto de grafites. O espaço recebe eventos de artes visuais e cênicas, música e educação vale muito a pena conhecer.

BDMG CULTURAL

unnamed (4)

O Instituto Cultural Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, BDMG Cultural, foi inaugurado em dezembro de 1988, ao som do Grupo Uakti e do Coral Lírico de Minas Gerais, com a maravilhosa exposição “Guignard – Obras Raras em Coleções Mineiras”.

Localizado na rua da Bahia o BDMG Cultural é um instituto que desde 1988 realiza ações na área da música, das artes visuais e cênicas. A galeria de arte do BDMG Cultural recebe exposições abertas à visitação diariamente, inclusive aos finais de semana e feriados e suas ações culturais abrem espaço para novos e consagrados artistas regionais e internacionais. Braço cultural do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, na instituição, a cultura faz parte do desenvolvimento e está diretamente ligada à qualidade de vida.

DSC_1510

Logo nos primeiros anos, a sua atuação pela valorização da cultura mineira, por meio de exposições e shows musicais, revelaram a dedicação que o Instituto teria por essas áreas. Os apoios culturais também foram somados às ações da instituição e, até hoje, continuam agregando novos segmentos artísticos que são contemplados por outros projetos e editais públicos como, Mostras BDMG, Jovem Músico BDMG, Jovem Instrumentista BDMG, Prêmio BDMG Instrumental e Prêmio Marco Antônio Araújo – melhor CD autoral e instrumental do ano e Trilha Cultural BDMG. Dentre os apoios oferecidos pelo BDMG Cultural, que contribuíram e contribuem para a ampliação do mercado cultural e artístico de Mineiro.

ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS

academia-mineira-de-letras1414

A Academia Mineira de Letras hoje localizada na rua da Bahia no bairro de Lourdes foi fundada na cidade de Juiz de Fora- MG, em 1909, por um grupo de jornalistas, escritores e profissionais ligados à literatura e à cultura. A instituição foi realocada para Belo Horizonte em 1915, e em 1987, passou a ocupar o Palacete Borges da Costa, ganhando posteriormente um anexo para receber eventos e reuniões. O conjunto das edificações se destaca pelo estilo clássico do Palacete que se assemelha a um verdadeiro relicário, e o moderno, arrojado e funcional – auditório anexo.unnamed (2)

Dentre obras ímpares e raras que o espaço abriga, possui acervo de 28 mil títulos e 32 mil exemplares inclusive de produção literária dos acadêmicos.

Uma casa erguida ao longo de mais de uma década, a partir de 1910, e que abrigou o médico Eduardo Borges da Costa, um dos fundadores da Faculdade de Medicina da UFMG, segue como uma das poucas construções remanescentes da arquitetura do início do século XX em Belo Horizonte.

Semana que vem tem mais! Quais serão os próximos prédios?

Clique no link abaixo e deixe seus dados, que nós te guiaremos na busca do seu imóvel dos sonhos.MEU IMÓVEL NA REGIÃO CENTRO-SUL

REFERÊNCIAS E DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS.
Acervo APCBH. Acervo Cartográfico Avulso – Acervo APCBH. Acervo de clippings da Sala de Consultas – Acervo APCBH. Coleção José Góes – Acervo APCBH. Coleção Legislação Municipal Impressa – Acervo APCBH. Coleção Relatórios anuais de atividades da Prefeitura de Belo Horizonte – Acervo APCBH. Coleção Revistas Alterosa – Acervo APCBH. Coleção Revistas Belo Horizonte – Acervo APCBH. Coleção Revistas Diversas – Acervo APCBH. Doação da Fundação João Pinheiro – Acervo APCBH. Fundo Assessoria de Comunicação Social do Município – ASCOM – Acervo APCBH. Fundo Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte – URBEL – Acervo APCBH. Fundo Coordenação da Habitação de Interesse Social de Belo Horizonte – CHISBEL – Acervo APCBH. Fundo Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte – BHTRANS – Acervo APCBH. Fundo Fundação Municipal de Cultura – FMC – Acervo APCBH. Fundo Gabinete do Prefeito – GP – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal Adjunta de Planejamento – SMAPL – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana – SMARU – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Ação Comunitária – SMAC – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos – SMADRH – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Assuntos Extraordinários – SMAE – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Governo – SMGO – Acervo Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura – Acervo Gerência de Cadastro Técnico Municipal – PRODABEL – Acervo Museu Histórico Abílio Barreto – MHAB – Acervo Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana – Acervo SLU – Acervo SUDECAP – Acervo URBEL
IMG_8742

Marcio Kened Analista de Marketing

Conheça 3 Atrações do “Circuito da Liberdade”.

PLANETÁRIO MIDIASA população Belo Horizontina é privilegiada por ter um lugar onde a história e o conhecimento se unem dando espaço para o novo e para a visão de futuro; espaço este conhecido carinhosamente pelos mais íntimos de “Planetário”.

Sediado na Praça da Liberdade, no bairro Funcionários, fica ao lado do Museu das Minas e do Metal, quase esquina com à Avenida Bias Fortes. O Espaço do Conhecimento UFMG incita a evolução de um olhar crítico sobre a produção do conhecimento, fomentando o debate e a interlocução entre a universidade e a população.

Nascido da união da renomada UFMG com o Governo do Estado de Minas, integra o Circuito Liberdade. Com uma programação extensa ligada à diversidade e à multiplicidade cultural, promovendo uma comunicação entre a ciência e a vida cotidiana e a forma na qual ela é vivida. É um centro de divulgação da cultura científica e artística, que faz uso de recursos tecnológicos e audiovisuais em uma abordagem lúdica, interativa e dinâmica.

planetário

Visão do “Terraço Astronômico”

O disputadíssimo Terraço Astronômico que é um dos destaques do Espaço, oferece observação gratuita dos astros em determinados períodos, onde os visitantes podem observar o céu com o auxílio de equipamentos e sob a orientação de especialistas em astronomia. Anexo ao Terraço, fica o Planetário, fabricado na Alemanha uma estrutura que conta com sistema digital de projeção. A tecnologia avançada faz com que o céu pareça real, tamanha a definição das imagens. O público tem uma visão 360º, experiência singular de cinema imersivo. Palco de exposições temáticas o Espaço do Conhecimento UFMG é incondicionalmente reconhecido quando o assunto é história dos povos antigos e da própria humanidade. “Demasiado Humano” uma das principais exibições, trata da origem da vida, evolução e trajetória humana. Abre portas para que o visitante desfrute da ciência como ela é feita – cheia de dúvidas, incertezas e constantes descobertas, pois afinal são dos questionamentos que o ser humano fez no decorrer da existência que achamos a resposta para cada uma delas. Existem também as exposições temporárias que também integram a programação, juntamente com debates, cursos e oficinas.

main_destaque_mumia-fachada-foto-de-kayke-quadros_3

Fachada Digital em exposição para quem passa na Praça da Liberdade.

Do lado de fora, voltada para a Praça da Liberdade, está a Fachada Digital. No período noturno, são exibidas imagens e vídeos de artistas regionais e internacionais que unem arte, ciência e experimentação, criando uma interface entre o museu e o espaço público.

 

 

MUSEU DAS MINAS E DO METAL

Sabe aquele prédio cor de rosa, na praça da liberdade, lindo, imponente e inaugurado em 1987 junto com a Capital Mineira, o edifício que abriga o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal apresenta de forma interativa e lúdica a história da mineração e da metalurgia em Minas e no mundo. Ocupando vários espaços, conta com 18 áreas expositivas onde estão 44 atrações que apresentam, por meio de personagens fictícios e históricos, um novo mundo para os visitantes.

O prédio erguido em 1930 passou a abrigar a secretaria de educação durante 60 anos, quando foi incorporando o Museu da Escola e Centro de Referência do Professor. Com a mudança da cidade administrativa para a região norte, o prédio então passou a acolher o museu que só foi aberto ao público em junho de 2010.

O edifício enfrentou um meticuloso e trabalhoso processo de restauração, que atestou o gosto afrancesado da época com tom Art Nouveau e o neoclassismo. O projeto arquitetônico para a nova finalidade do prédio é de autoria do arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a museografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, é de Marcello Dantas. Destacando já no hall de entrada está a escadaria de forjaria alemã, uma das várias belezas arquitetônicas do Prédio. Na Praça de Convivência tem serviços de Café e Loja, Espaço Gerdau e a Druza de Quartzo, a maior e mais pesada amostra do acervo mineral. Uma verdadeira joia!

No 1ª andar, as principais minas do Estado estão representadas com figuras que contam histórias das Minas Gerais. O Mapa das Minas revela onde encontrar as riquezas do estado, explorada durante séculos por portugueses e alemães e parte delas está em um inventário com mais de 400 amostras minerais.

O  MM Gerdau traz a importância do metal para a humanidade, como foi sua utilização e desenvolvimento. Entre as atrações é possível formar compostos químicos na tabela periódica interativa e subir em uma balança para medir a quantidade de substâncias minerais em seu corpo. Vale muito dedicar uma tarde para visitar com os filhos e família.

MEMORIAL VALE

Conhecido como Museu da Experiência, o Memorial Minas Gerais Vale traz a essência e a cultura mineira expostas de forma original, interativa e contemporânea, sendo crucial para os dias de hoje. Cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes em uma viagem histórica.

Instalado no antigo prédio da Secretaria da Fazenda, erguido em 1897, a construção de estilo multifacetado foi projetada pela comissão construtora da nova capital. O Memorial incita o visitante a desvendar a história e os hábitos mineiros de uma forma diferente. Ilustres personalidades, vilas barrocas, grandes autores, cidadãos comuns, comidas típicas, moda mineira e o artesanato estão representados nos 31 espaços que constitui o Memorial.

Para finalizar o passeio, vale a visita ao café que também funciona no local. A cafeteria é aberta ao público em geral e se chama “café do memorial”, recheado de delícias mineiras, além de contar com exposição de cachaças das diversas regiões do estado e vídeos sobre a história da moda em Minas. Neste mesmo ambiente são realizadas exposições temporárias de fotografias

Criado e mantido pela Vale por meio de sua Fundação, o Memorial integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Semana que vem tem mais! Quais serão os próximos prédios?

Clique no link abaixo e deixe seus dados, que nós te guiaremos na busca do seu imóvel dos sonhos.MEU IMÓVEL NA REGIÃO CENTRO-SUL

 

REFERÊNCIAS
Acervo APCBH. Acervo Cartográfico Avulso – Acervo APCBH. Acervo de clippings da Sala de Consultas – Acervo APCBH. Coleção José Góes – Acervo APCBH. Coleção Legislação Municipal Impressa – Acervo APCBH. Coleção Relatórios anuais de atividades da Prefeitura de Belo Horizonte – Acervo APCBH. Coleção Revistas Alterosa – Acervo APCBH. Coleção Revistas Belo Horizonte – Acervo APCBH. Coleção Revistas Diversas – Acervo APCBH. Doação da Fundação João Pinheiro – Acervo APCBH. Fundo Assessoria de Comunicação Social do Município – ASCOM – Acervo APCBH. Fundo Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte – URBEL – Acervo APCBH. Fundo Coordenação da Habitação de Interesse Social de Belo Horizonte – CHISBEL – Acervo APCBH. Fundo Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte – BHTRANS – Acervo APCBH. Fundo Fundação Municipal de Cultura – FMC – Acervo APCBH. Fundo Gabinete do Prefeito – GP – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal Adjunta de Planejamento – SMAPL – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana – SMARU – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Ação Comunitária – SMAC – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos – SMADRH – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Assuntos Extraordinários – SMAE – Acervo APCBH. Fundo Secretaria Municipal de Governo – SMGO – Acervo Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura – Acervo Gerência de Cadastro Técnico Municipal – PRODABEL – Acervo Museu Histórico Abílio Barreto – MHAB – Acervo Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana – Acervo SLU – Acervo SUDECAP – Acervo URBEL
IMG_8742

Marcio Kened Analista de Marketing

BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL DE MINAS GERAIS

Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais – Prédio-sede

No artigo anterior apresentamos a você o “Circuito Cultural Liberdade “com todos os seus detalhes desde sua implantação até suas reformas. Agora falaremos de cada prédio que faz parte do circuito e você poderá ficar de olho na programação cultural de cada um.  

Em 1954 foi fundada pelo então Governador do estado Juscelino Kubitschek a Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais com o intuito de ser a principal biblioteca pública de Belo Horizonte, e uma das principais do estado de Minas Gerais.

12

Visão da janela da Biblioteca Publica Estadual para a Praça da Liberdade. 

O Prédio sede da Biblioteca teve seu projeto inicial feito pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer, contudo nunca foi totalmente concluído. Leva o nome do imigrante Português Antônio Luiz de Bessa, erradicado em Juiz de Fora e que se tornara futuramente professor e então jornalista, Luiz de Bessa foi redator-chefe dos jornais Estado de Minas e Folha de Minas, participou da implantação do serviço de radiodifusão em Minas, originando a Rádio Inconfidência. Em 1942 foi oficial de gabinete do governador Benedito Valadares e faleceu em 1968 em Belo Horizonte.

Atualmente a biblioteca recebe quase 400.000 pessoas por ano, entre um público de crianças a idosos, estudiosos de várias áreas e portadores de deficiência visual. Conta com serviços de empréstimo domiciliar e consultas ao acervo, oferece espaços variados ao usuário, como as salas de estudos e de pesquisas via internet, sala de cursos, teatro de arena, galerias de artes, além de um teatro com moderno suporte tecnológico, com capacidade para 220 pessoas.

Serve como referência para as bibliotecas públicas dos 853 municípios de Minas e reconhecida como importante patrimônio cultural do Estado. Seu acervo tem aproximadamente 570.000 exemplares, entre livros, revistas e jornais correntes, grande parte digitalizados, sendo que muitos destes registram a história de Minas Gerais desde 1825. Obras de produção intelectual brasileira e estrangeira são encontrados também, tanto informativa, como literária; coleção de autores mineiros de todas as épocas; coleção infanto-juvenil; obras raras e especiais de reconhecida importância; livros sobre artes e um conjunto de obras em braile e áudio-livros.

BibliotecaPublica_HugoCordeiro-3

Visão interna da Biblioteca Publica Estadual.

Além de todo este conteúdo histórico a Biblioteca Estadual desenvolve programas e ações de mediação e incentivo à leitura, palestras, oficinas, visitas guiadas, exposições de artes visuais e literárias.

E ainda mantém serviços de extensão bibliotecária, através do atendimento a seis bairros periféricos de Belo Horizonte, levando informação e cultura, serviço realizado pelo Carro-Biblioteca, além de atender a 15 diferentes instituições, através do serviço das Caixas-Estantes.

Em 2000, o Governo do Estado como forma de ampliar o espaço útil da Biblioteca, incorporou o antigo anexo da Secretária da Fazenda, localizado na rua da Bahia, e passou a ser chamado de Anexo Professor Francisco Iglésias, situado à Rua da Bahia.

Imagina você poder buscar o conhecimento em uma biblioteca com mais de 570 mil exemplares e com acessibilidade para todos. Este lugar está do ladinho do Palácio da liberdade, a biblioteca além do grande acervo é um local super tranquilo, ideal pra você ler um bom livro.

CUL_002_001

 Anexo 2 Biblioteca  Professor Francisco Iglésias- Visão da rua da Bahia.

E você, bateu uma vontade de morar perto da “Biblioteca Pública Estadual? Já pensou em  aproveitar todo este privilégio de morar no bairro Funcionários e ainda poder aproveitar todos os benefícios de estar sempre perto da cultura e da arte? Se sua resposta for “SIM”! Clique no link abaixo que ajudaremos você.https://materiais.hypolitoimoveis.com.br/busca-de-imoveis-personalizada
Referências de Pesquisa 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_P%C3%BAblica_Estadual_Luiz_de_Bessa

http://circuitoliberdade.mg.gov.br/pt-br/espacos-br/biblioteca-publica-estadual-de-minas-gerais

IMG_8742

Marcio Kened Analista de Marketing